Quais os desafios do marketing para o seu planejamento anual?

Saiba como potencializar tanto a sua estratégia de marca quanto o seu planejamento de marketing

Marcas que se conectam com seus clientes e lançam tendências ganham em valor de mercado, são mais resilientes e respondem mais rapidamente em momentos pós crise. Pensando nisso, uma abordagem mais centrada no consumidor e nos seus desafios nos dá uma noção mais clara de como construir uma estratégia de marketing efetiva, que potencializa nossa marca e cria diferenciais entregando valor em todas as interações com nossos consumidores.

É preciso que a construção de marca conviva com o dia a dia do marketing. Com as metas anuais de faturamento e ganho de share. Por isso, queremos te mostrar um caminho onde há uma conciliação das duas coisas, da estratégia de marca e das metas do departamento de marketing, que normalmente não andam juntas.

Assim, te convidamos a pensar como a estratégia de marca dá subsídio ao planejamento de marketing e deve ser bússola para que a empresa sempre construa valor de marca, mesmo quando a meta é medida em vendas e não em brand equity. Isso passa pelo entendimento do cliente em profundidade, para depois construir uma estratégia de marketing que entregue em todos os pontos de contato, com todos os stakeholders, em todas as ações, a plataforma de marca da empresa (propósito, posicionamento, mensagem de marca, experiência de marca e proposta de valor).

Dessa forma, separamos os desafios do marketing em 4 grandes pilares: Estratégia, Comunicação, Vendas e Lealdade de Marca e te convidamos a refletir sobre alguns pontos.

 

1. Estratégia

O primeiro desafio do marketing está em delimitar e defender um território de atuação da sua marca. Qual necessidade do seu cliente você atende? Como você faz isso e, principalmente: Por que isso é importante para ele? Parece trivial, mas esse exercício faz com que você perceba que muitas vezes você está defendendo ou apresentando o seu segmento de mercado e não a sua marca.

Outro desafio muito comum é a falta de valor percebido. Talvez esse seja o mais comum de todos. Em um mercado cada vez mais competitivo é muito difícil segurar valor apenas com diferencial de produto. E mesmo que o seu produto seja único (o que é cada vez mais difícil), os seus concorrentes vão se posicionar como “O meu é igual e mais barato”, “Faz a mesma função”, “Entrega o mesmo resultado” e todas essas frases que a equipe de vendas está exausta de ouvir na rua.

De modo geral esse problema se manifesta porque segundo a percepção da empresa, o cliente não percebe valor, não liga para diferenciais e só compra o mais barato.

A sua missão nessa etapa é mostrar como a sua marca faz com que ele seja percebido de forma diferente pela sociedade ou pelo mercado de trabalho. Quando a marca agrega esse tipo de ganho, a relação se torna mais profunda, duradoura e lucrativa para ambas as partes.

 

2. Comunicação

Nós investimos muito tempo e esforço para que o potencial consumidor perceba valor na solução que a empresa oferece, além de convencê-lo que o seu tipo de abordagem para o problema dele é a melhor possível. Para que a partir daí, ele passe a buscar empresas que possam atender suas necessidades.

Com o surgimento de novos desafios, sua estratégia de marketing precisa estar preparada para que você apareça e seja considerado para a compra. Essa etapa está intimamente ligada a publicidade, propaganda, inbound marketing, estratégia de redes sociais e todos os canais e pontos de contato possíveis para que você apareça no lugar certo e não passe despercebido no radar do nosso intrépido cliente que agora precisa te encontrar.

Essa é a etapa que está presente em 100% dos planejamentos de marketing. Muitas vezes, de forma errada, ela é a única etapa. Não é só com comunicação que se alcança resultado, mas ela é uma ferramenta fundamental.

Se o seu principal desafio do ano se encontra por aqui, Entenda em profundidade a jornada de adoção de marca do seu consumidor, assim você vai estar presente nos momentos chave de tomada de decisão.

 

3. Vendas

Aqui é onde marketing e vendas mais se aproximam. Inclusive um mantra nosso é que Estratégia de Marca sem equipe de vendas não sai do PDF. As métricas de venda, a abordagem comercial, o discurso de marca, tudo isso ganha vida na hora da venda. O momento da venda é quando o brilho nos olhos deixa de ser uma ideia e passa a ser uma ferramenta de venda mesmo. Um vendedor empolgado vende mais, uma embalagem que empolga vende mais, uma landing page que empolga converte mais!

Aqui é onde a briga real acontece, no ponto de venda a embalagem conta, o storytelling (online) conta, o preço conta, a ocasião e as oportunidades contam, promotores contam, em poucos segundos podemos fazer o consumidor mudar de ideia, mudar um comportamento e aceitar novas maneiras de atender a uma necessidade.

 

4. Lealdade

O consumidor está interagindo diretamente com a sua marca, e agora? Como fazer com que ele se apaixone pela sua marca, se torne um defensor e conte para todo mundo (inclusive nas redes sociais)?.

Pensando no volume de recurso que foi investido para garantir que você conquiste um novo cliente, o que é economicamente mais vantajoso? Começar tudo de novo ou investir para que esse consumidor já conquistado faça compras recorrentes?

Uma outra consideração a se fazer é que por mais que tenhamos evoluído na utilização de ferramentas de marketing, a indicação de alguém próximo ainda é uma das ferramentas de venda mais eficientes e é aí que um defensor de marca faz todo investimento valer a pena. Alguém que compartilha valores com a sua empresa ficará muito feliz em contar para todos que ele conhece uma marca que defende o mesmo set de valores que ele defende.

É por essas razões que essa etapa da jornada de adoção de marca não pode nunca estar de fora do seu planejamento anual de marketing. Com ela bem definida,você capitaliza em cima dos clientes que já utilizam a sua marca, já passaram por todo processo de compra e podem se tornar multiplicadores das suas ideias e ideais. Basta você se importar com isso e. E não desperdiçar essa oportunidade.

Diante de tudo isso, agora ao pensar na construção do seu planejamento anual de marketing, você precisa focar na grande meta do ano, que provavelmente está relacionada a algum desses pilares e colocar boa parte dos seus esforços nesse pilar, mas sem deixar de lado os outros. Assim, no longo prazo, a ideia é que sua verba vá se deslocando das partes mais estratégicas da jornada para as partes relacionadas à retenção.

Mesmo com essa introdução, sabemos a necessidade de você se aprofundar em cada um desses pilares e refletir sobre qual a melhor maneira de construir o seu planejamento anual de marketing, tendo em vista a sua marca e as suas metas. Por isso, convidamos você a conferir o nosso E-book, em que propomos a observar e comentar os desafios enfrentados por departamentos de marketing para conseguir que suas ações atinjam as metas financeiras sem deixar de lado a tão importante construção de uma conexão emocional com seus clientes. Para recebê-lo em seu e-mail, basta preencher o formulário aqui