Manu Gavassi e sua estratégia de Branding

Com certeza, em algum momento, você já deve ter esbarrado com alguma publicação sobre a cantora Manu Gavassi. Mas você sabe que aconteceu para tanta evidência? Bom, tudo começou quando, de forma inesperada, ela entrou para o maior reality show do país: o Big Brother Brasil.

Sua entrada foi acompanhada de vários vídeos exclusivos e trechos de sua websérie ‘Garota Errada’. A estratégia da cantora e atriz foi totalmente assertiva. Para você ter ideia: em uma semana, ela ganhou mais de 1,5 milhão de seguidores em sua conta do Instagram, e se tornou a personalidade com o maior número de seguidores conquistados em menos de 24 horas.

Essa estratégia vem de um longo caminho de branding que nos leva para 2018, quando Manu ganhou a internet com a websérie, que foi uma sátira sobre a própria vida da cantora. Desde aquela época, surgiu uma oportunidade que Manu soube aproveitar. Ela rompeu seus laços com a sua antiga gravadora e abriu-se para a criação de um trabalho mais autoral e alternativo. E foi aí que a marca de Manu Gavassi começou a ser construída!

Sua entrada no BBB não foi apenas um movimento de autoconhecimento. A decisão foi milimetricamente calculada por Manu e sua equipe de marketing, mais conhecida como a Cute Buy Psycho Agency. A “agência” fundada por ela é um coletivo de profissionais que visa produzir branded content e tem a cantora como porta-voz para os produtos.

Manu é contratada da Universal Music, que também teve parte em tudo isso. Com a jogada pensada por Manoela e sua equipe, a cantora passou a ser vista 24 horas na TV e em todas as redes sociais. Quer exposição maior que essa?

A estratégia genial da cantora vem nos relembrar de algo há muito esquecido por diversas marcas: a importância de figurar em vários canais e de produzir conteúdo exclusivo para cada um deles. Planejamento é a chave de tudo e muito necessário.

A cada dia que passou durante a confinação de Manu no programa, vimos um novo conteúdo surgir na web e tudo segue horários, formatos estratégicos. O jogo das marcas também anda deste jeito: em um mundo de algoritmos é preciso entender como a máquina funciona e o que ela considera relevante. Ela chutou e acertou o gol de forma impecável. Hoje, o ‘Case Manu Gavassi’ é um exemplo usado como inspiração em várias agências!